Canal Exclusive
Revista Online

Menopausa precoce: entenda o que acontece com o corpo

por Redação | publicado em terça, 04 de setembro de 2018



Cláudia Navarro é ginecologista, especialista em reprodução assistida e diretora clínica da Life Search

Menopausa precoce é uma condição que ainda desperta diversas dúvidas, inclusive sobre a possibilidade de uma gravidez utilizando técnicas de reprodução assistida. Até alguns anos atrás, a própria menopausa era um assunto pouco abordado, tanto na literatura científica como na leiga. Os sentimentos das mulheres em relação a essa época de suas vidas eram, em grande parte, negativos, decorrendo principalmente das alterações corporais que costumam ser características dessa fase.

Com o passar dos anos e os avanços da medicina, esse período da vida feminina passou a ser discutido e ganhou espaço em diversos meios. Entretanto, a menopausa precoce ainda é um termo pouco explorado no dia a dia, mesmo sendo uma realidade para muitas mulheres.

Antes de falarmos sobre menopausa precoce, é importante esclarecer que climatério e menopausa possuem significados diferentes. O primeiro é uma fase de limites imprecisos na vida feminina, ou seja, compreende a transição do período reprodutivo para o não reprodutivo, envolvendo a pre, peri e pós menopausa. Já a palavra “menopausa” se refere à última menstruação.

Aproximadamente três milhões de mulheres em todo o mundo sofrem com menopausa precoce, isto é, antes dos 40 anos. Normalmente, a parada de funcionamento dos ovários por esgotamento dos folículos ocorre quando a mulher está entre 45 e 55 anos de idade.

Além de anomalias cromossômicas, vários fatores podem levar à menopausa antes da hora. Dentre elas, algumas doenças autoimunes. Determinados tratamentos usados no combate ao câncer, como quimioterapia e radioterapia também podem levar a uma diminuição na reserva ovariana.

Quanto antes diagnosticada a menopausa precoce, menores serão as consequências. Como prevenção, é fundamental que a mulher mantenha uma vida com atividades físicas regulares e uma dieta rica em cálcio e pobre em gordura, para ajudar a evitar problemas gerados pela ausência dos hormônios.

Algumas terapias são eficazes para combater os sintomas e as consequências da menopausa precoce. Mas é bom esclarecer que a terapia de reposição hormonal pode ajudar no alívio dos sintomas incômodos do climatério, mas não tem eficácia quando a intenção é engravidar.

A ciência ainda não descobriu uma técnica capaz de recriar óvulos após seu esgotamento, e, assim, evitar a menopausa precoce. Mas, no caso de desejo de gravidez, a alternativa é se usar as Técnicas de Reprodução Assistida através da doação de óvulos.

Nos casos em que se pode prever uma possível menopausa precoce (quimioterapia, por exemplo), uma alternativa é a preservação dos óvulos antes de seu esgotamento. Nesse sentido, o método atualmente utilizado é o congelamento dos óvulos. O congelamento de fragmentos de tecido ovariano, que contém os óvulos, ainda é considerado experimental, mas apresenta uma opção promissora para o futuro. Os óvulos congelados,serão posteriormente descongelados e fecundado in vitro.

Sobre Cláudia Navarro

Cláudia Navarro é ginecologista, especialista em reprodução assistida. A médica é diretora clínica da Life Search. Graduada em medicina pela UFMG em 1988, Cláudia titulou-se mestre e doutora em medicina (obstetrícia e ginecologia) pela instituição federal. Atua na área de ginecologia e obstetrícia, com ênfase em reprodução humana, trabalhando principalmente os seguintes temas: infertilidade, reprodução assistida, endocrinologia ginecológica, doação e congelamento de gametas.

Informações para a imprensa:


Comentários

Mais lidas

Card image cap
Por que fazemos o que fazemos?

Ler matéria
Card image cap
Projeto Cidade do gás

Ler matéria
Card image cap
1ª corrida contra o câncer beneficia ONG que doa perucas para pacientes oncológicos

Ler matéria
Card image cap
Uma goleada do Vila da Copa

Ler matéria
Card image cap
Rede internacional de sorvetes Cold Stone Creamery inaugura loja em BH

Ler matéria