Belo Horizonte, 04/07/2022

Café 100% orgânico ganha o 1º lugar do Prêmio de Melhor Café da Região do Cerrado Mineiro

por redacao | publicado em terça, 24 de maio de 2022



Foto: divulgação

Pela primeira vez na história o café campeão do Cerrado Mineiro ficará no Brasil em homenagem ao Dia Nacional do Café, comemorado no dia 24 de maio


Na última década, o Brasil assistiu o crescimento do gráfico de consumidores com o foco no consumo de orgânicos. Para se ter uma ideia dessa potência, no ano de 2020, o mercado de produtos com certificado orgânico movimentaram aproximadamente R$100 bilhões, segundo dados do divulgados pelo Euromonitor International.

Nas lavouras de café, muitos produtores endossaram esse número. Ricardo e Gustavo Bartholo são grandes exemplos dessa realidade. Os dois realizam o cultivo de café orgânico na região do Cerrado Mineiro, em Patrocínio (Minas Gerais), a 1.100 metros de altura. E o resultado foi uma bebida de extrema qualidade, que ganhou 1º lugar no Prêmio de Melhor Café da Região do Cerrado Mineiro, no último ano, com os incríveis 89.18 pontos.

Ao longo da história, o café campeão desse concurso foi vendido para o exterior. Mas, pela primeira vez, esses grãos ficarão no Brasil. A Coffee ++, em parceria com a Cafebras (empresa especialista em garimpar os melhores cafés do Brasil), comprou a saca campeã por R$50 mil e o brasileiro poderá vivenciar o café orgânico avaliado em 89.18 pontos.

A propriedade conta com mais de 120 hectares de lavoura de café 100% orgânico, com selo atestado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Bartholo é um tipo de produtor de café inquieto. Aquele moço que sorri com os olhos e está sempre disposto a experimentar e experienciar. Essa ousadia é antiga e iniciou há 34 anos, quando Bartholo iniciou o plantio nas terras do Cerrado Mineiro, que é a região cafeeira mais organizada do Brasil - o maior produtor de café do mundo.

Contudo, ele nunca planejou o manejo de café orgânico como realidade do cafezal. Mas as “coisas acabaram acontecendo”, como ele contou em gargalhadas: “Decidimos caminhar de forma natural. Primeiro, troquei o adubo por composto. Depois, tiramos o cloreto de potássio. Sabe o resultado? Depois de quatro anos de produção orgânica, elevamos a qualidade do nosso café e ganhamos o 1º lugar no Prêmio de Melhor Café do Cerrado”, fala de forma entusiasta.

Desde então, pai e filho não pararam e os cuidados com a lavoura potencializaram a qualidade da bebida na xícara. No local de criação de soluções orgânicas para tratamento do cafezal, a analogia com laboratório não é nenhum exagero. Por lá, a ciência é natural.

Os produtores tiram, literalmente, leite de pedra para a proteção do solo por meio de pó de rocha, bactérias e água. E entre as misturas, encontra-se uma série de misturas, como a solução produzida com arroz cozido enterrado na lavoura, urina de vaca criada sem uso de antibióticos e 13 produtos desenvolvidos pela indústria biológica.

Aliás, uma fala muito inteligente de Bartholo mostra como a escolha tem como inspiração o bioma em que estamos inseridos. “Na floresta nativa, tem bicho mineiro e ferrugem. As árvores caem? Elas morrem? Não. Há o equilíbrio natural e é isso que queremos para a nossa lavoura. Seja com leite de pedra [produzido por meio de pó de rocha, líquido e oxigênio] e apenas adubo biológico”, explica Gustavo Bartholo, filho de Ricardo e alquimista oficial de experimentos orgânicos.

Dia Nacional do Café com o campeão de Melhor Café do Cerrado Mineiro

Ficou curioso para conhecer um pouco mais desse café? A Coffee ++ Indústria de Cafés Superespeciais acima de 84 pontos comprou o café produzido por Bartholo e vai lançar um lote exclusivo limitado no Dia Nacional do Café (24 de maio). O café premiado e atestado em 89.18 pontos poderá ser apreciado no método de preparo drip coffee.

Esse método foi criado em 1990 no Japão e se trata de um café de bolso. O sachê de café pode ser levado em qualquer lugar do mundo e é a solução de preparo de um café premiado em qualquer lugar do mundo, em poucos minutos. Para tanto, basta abrir o sachê e encaixar as hastes flexíveis na xícara.


Comentários