Belo Horizonte, 19/01/2021

Cine Theatro Brasil Vallourec lança série especial do Praça Sete Instrumental Live, celebrando os 300 anos de Minas Gerais

por Redação | publicado em segunda, 07 de dezembro de 2020



Foto: Senta a Pua Gafieira/ Elcio Paraiso.

Apresentações acontecem de 10 a 22 de dezembro, no canal do Youtube do Cine Theatro Brasil Vallourec

Em comemoração aos 300 anos de Minas Gerais, o Cine Theatro Brasil Vallourec apresenta uma edição especial do Praça Sete Instrumental Live, com 4 lives durante o mês de dezembro. A cantora Laura Catarina e os grupos Senta a Pua, Assanhado Quarteto e quarteto i Molinari camerata musici serão os destaques para esta série comemorativa.

O cenário é a porta de entrada do Cine Theatro Brasil Vallourec e, ao fundo, a Praça Sete de Setembro — um símbolo no coração da capital do estado. A música é, claro, mineira. As apresentações on-line ocorrem no canal do centro cultural no Youtube, gratuitamente, nos seguintes dias: Senta a Pua (10 de dezembro, quinta-feira), Assanhado Quarteto convida Michelle Andreazzi (14 de dezembro, segunda-feira), Laura Catarina (17 de dezembro, quinta-feira) e quarteto i Molinari camerata musici (22 de dezembro, terça-feira).

Esta é a segunda temporada do projeto Praça Sete Instrumental Live. Iniciado em maio, diversos nomes da música mineira passaram por ele, como Chico Amaral, Thiago Delegado, Nath Rodrigues, Renato Caetano e a banda Soul Much Blues. Todas as lives ficam disponíveis no canal do YouTube, para o público compartilhar e rever mais vezes.

A iniciativa é do Cine Theatro Brasil Vallourec e tem patrocínio do Instituto Unimed-BH, por meio do incentivo fiscal de médicos cooperados e colaboradores, e da Vallourec, ambos via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Senta a Pua

10 de dezembro, quinta-feira

Desde 2007, Senta a Pua Gafieira propõe uma música instrumental brasileira feita para dançar, vivenciando o universo dos salões de gafieira e propondo um repertório próprio além de novos arranjos. Em sua trajetória, o grupo se apresentou ao lado de artistas renomados como Paulo Moura, Elza Soares , Eduardo Neves, Zé da Velha e Silvério Pontes.

O grupo se apresenta com Rodrigo Torino (violão de 7 e direção musical), Ulisses Luciano (trompete), Danillo Mendonca (trombone), Luadson Constancio (teclados),

Bruno Vellozo (baixo) e Gustavo Grieco (bateria).

Assanhado Quarteto convida Michelle Andreazzi

14 de dezembro, segunda-feira

Assanhado Quarteto

Formado por André Milagres, Lucas Ladeia, Rodrigo Heringer e Rodrigo Magalhães, o grupo surgiu em 2011 a partir de uma proposta coletiva de execução do repertório de choro com uma formação pouco convencional, utilizando instrumentos como o baixo-acústico, a bateria, a guitarra e o vibrafone, somados aos tradicionais violão de sete cordas e cavaquinho. O resultado é um som dotado de personalidade, inovação e brasilidade.

Recentemente o quarteto lançou seu primeiro disco, “Feira”, produzido pelo flautista, saxofonista, arranjador e compositor Mário Sève (Aquarela Carioca, Nó em Pingo D'água, Paulinho da Viola). O grupo vem se apresentando importantes projetos destinados à música instrumental e ao choro, como Savassi Festival, Choro Livre e BH Instrumental (Belo Horizonte), Quartas Instrumentais BNDES e Casa Do Choro (Rio de Janeiro), Programação Cultural FNAC (Portugal), Festival Internacional de Choro de Paris (França), Manly Jazz Festival, Universidades de Melbourne e Monash (Austrália).

Michelle Andreazzi

Michelle Andreazzi é cantora, compositora e poeta. É fundadora do grupo Capim Seco com o qual concorreu ao 24º prêmio da Música Brasileira na categoria melhor grupo de samba com o disco “Semba”. É integrante do Coletivo ANA e vocalista do Bloco Então Brilha. Michelle lançou seu primeiro disco solo “À Margem”em 2018 e se destaca por sua marcante presença de palco e por suas canções que valorizam o universo feminino, a poesia e ritmos afrodescendentes como o samba, a ciranda, o ijexá e até a morna cabo verdiana.

Laura Catarina

17 de dezembro, quinta-feira

Destacando-se pela beleza de sua voz e pela sensibilidade poética, Laura Catarina percorre por diversos universos musicais. Natural de Belo Horizonte e filha de Vander Lee, descobriu o amor pela música na infância. A influência do pai foi importante para o início da carreira: aos 9 anos de idade Laura já estava envolvida profissionalmente com a música.

Integrou ao lado de amigos de faculdade a banda Dom Pepo, da qual era vocalista. Já gravou com Luiz Gabriel Lopes, com o rapper Hot Apocalypse, com Kdu dos Anjos, e com seu pai Vander Lee em dois discos e no último DVD lançado.

Atualmente, Laura trabalha na campanha de financiamento coletivo de seu segundo disco solo, Amor de Pai, homenagem a Vander Lee. O repertório inclui músicas autorais de pai e filha, com destaque para as canções “Românticos”, “Onde Deus Possa Me Ouvir”, “Esperando Aviões” de Vander Lee e “Amor de pai”, de Laura Catarina. Participações especiais de Aline Calixto, Di Souza e Lucas Rasta.

Quarteto i Molinari Camerata Musici

22 de dezembro, terça-feira

O quarteto i Molinari camerata musici busca mostrar a abrangência e a sofisticação da música erudita por meio de uma combinação eclética entre instrumentos e vozes. Seu vasto repertório, composto por árias de óperas, operetas, trilhas de musicais e de filmes, canções e música instrumental, permitem ao grupo estimular, formar e alcançar os mais diversos públicos. A esse tipo de abordagem musical, chama-se ‘classical crossover’, e é um movimento artístico já bastante difundido mundialmente.

Formado pela soprano Helen Isolani, o tenor João di Souza, o tenor Néstor Gurry e o pianista, maestro e arranjador Robério Molinari, o i Molinari cultiva a democracia da música, saindo do hermetismo da ópera tradicional e da banalização da música comercial, e oferecendo uma inusitada mistura de estilos vocais e instrumentais.


Comentários