Belo Horizonte, 20/01/2021

Dia Nacional de Prevenção à Obesidade (11/10) alerta para um problema que ganha proporções epidêmicas

por Redação | publicado em quinta, 10 de outubro de 2019



A Obesidade é considerada um problema de saúde pública no Brasil e em outras nações. Segundo projeções da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2025, aproximadamente 2,3 bilhões de adultos estarão com sobrepeso (índice de massa corporal entre 25 e 30) e mais de 700 milhões, obesos (índice de massa corporal acima de 30). Por isso, a prevenção à doença é considerada a maneira mais viável para se evitar o problema. No Brasil, mais de 50% da população está acima do peso, o que indica que mais da metade se encontra na faixa de sobrepeso e obesidade.

Paulo Augusto Carvalho Miranda, endocrinologista da Unimed-BH, enfatiza que a obesidade é uma enfermidade complexa, acompanhada por uma série de fatores prejudiciais à qualidade de vida como diabetes, aumento de mortalidade cardiovascular e outras associações menos comentadas como alguns tipos de câncer e apneia do sono. “É uma doença que precisa da atenção médica multidisciplinar para que o tratamento atinja o objetivo. O acompanhamento individualizado é determinante para direcionar qual o procedimento adequado”, afirma.

O médico reforça que o tratamento da obesidade tem como base mudanças no estilo de vida, que passa por uma orientação alimentar adequada e a prática de atividades físicas. Quando indicado, há a adoção do tratamento medicamentoso. “Hoje existem medicamentos liberados para o uso ético no cuidado à obesidade. Quando a gravidade da doença demandar, indica-se o tratamento cirúrgico. Para todos os pacientes é recomendada a mudança de hábito. Para um determinado grupo, o tratamento farmacológico, e para outro extrato, o cirúrgico.”

De acordo com o especialista, o Dia Nacional de Prevenção à Obesidade, celebrado em 11 de outubro, é um marco importante para alertar a população sobre uma doença que, a cada dia, atinge mais e mais pessoas em todo o mundo. “A data ratifica que não se pode simplificar o problema como sendo culpa da pessoa que engorda, ou que está obesa. Algumas queixas em relação à obesidade não são valorizadas de maneira adequada. Não raro, as pessoas se afastam do tratamento ao perceber os desafios a serem enfrentados. É preciso estimulá-las a procurar pelo médico e as campanhas de conscientização ajudam a cumprir esse propósito.” O médico reforça que a data deve ser encarada como um alerta à toda sociedade para a busca de um estilo de vida mais saudável.


Comentários