Belo Horizonte, 14/11/2019

Ex-modelo cria startup que conecta mulheres a empresas que valorizam a diversidade

por Redação | publicado em sexta, 30 de agosto de 2019



Plataforma de divulgação de vagas e avaliação de organizações é a primeira no Brasil voltada para o público feminino

De acordo com o estudo "Perspectivas Sociais e de Emprego no Mundo: Tendências para Mulheres 2018", divulgado pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), a taxa de desemprego global das mulheres em 2018 ficou em 6%, quase 0,8% maior do que a taxa dos homens. Além disso, diversas fontes apontam para o fato de que elas ainda têm menos espaço para compartilhar suas ideias, opiniões e demandas no ambiente de trabalho.

Essa falta de representatividade feminina no ambiente empresarial foi o ponto de partida para que a ex-modelo e profissional de marketing Silaine Stüpp criasse a HerForce, primeira plataforma de divulgação de vagas e avaliação de empresas voltada para mulheres no Brasil.

"Nosso propósito é conectar mulheres a empresas que valorizam a diversidade, além de ajudar as empresas a cuidarem de seu ambiente de trabalho e aumentarem a representatividade de mulheres em suas equipes", explica a fundadora e CEO da HerForce, que sentiu na pele a desigualdade de tratamento pela qual as mulheres passam em entrevistas de trabalho, por exemplo.

Com o intuito de diminuir a desigualdade, a startup atua em duas frentes: dando voz às mulheres e credibilidade às empresas que buscam reforçar o valor da diversidade. As profissionais podem avaliar uma organização em que já tenha trabalhado, responder critérios específicos ao público feminino, visualizar avaliações e comentários pela ótica de outras mulheres, acessar vagas de trabalho e enviar o currículo. Já as empresas podem criar seus perfis de marca empregadora, divulgar vagas, contratar serviços focados no aprimoramento do seu ambiente de trabalho e ainda obter o selo HerForce, indicando que empresa valoriza e exerce a diversidade de gênero e inclusão.

"A HerForce é a primeira plataforma no Brasil a dar voz para as mulheres e oferecer informações valiosas para a tomada de decisão em suas carreiras por meio das avaliações e comentários sobre as companhias, além de facilitar a comunicação e atração de talentos para empresas que valorizam a diversidade e entendem a sua importância para o sucesso e crescimento de seus negócios", destaca Silaine.

Cenário

O mesmo relatório produzido pela OIT mostra que apenas 48,5% das mulheres têm empregos formais, 26,5 pontos percentuais a menos do que os homens. No Brasil, onde o número de mulheres é maior do que o de homens, a diferença é ainda maior. Segundo o IBGE, rendimento, formalização e disponibilidade de horas para trabalhar são alguns dos elementos que permanecem desiguais entre homens e mulheres. Elas trabalham, em média, três horas a mais do que eles, passam mais tempo estudando e se aprimorando e mesmo assim possuem um rendimento médio mensal de quase R$ 600 a menos do que os dos homens.

"A população brasileira é composta por 52% de mulheres, essas são responsáveis por 85% do poder de compra, e mesmo assim, a representatividade feminina nos principais setores do mercado de trabalho é muito pequena. Na área de tecnologia a presença de mulheres chega a 17%, na de criação 26%, em cargos executivos 9% e as fundadoras de startups chegam a 4%. Tendo em vista esse desequilíbrio, 65% das mulheres não se sentem representadas no mercado e as empresas lidam com ambientes de trabalhos e resultados financeiros desajustados pela falta de diversidade", lembra a CEO da HerForce, que enfatiza: "É nesta frente que a HerForce ajuda mulheres e empresas a se conectarem".

Mais informações:

Sobre a HerForce

Fundada em 2018, a HerForce é uma startup que atua no segmento de Recursos Humanos, com o propósito de conectar mulheres a empresas que valorizam a diversidade. A plataforma de divulgação de vagas e avaliação de empresas é a primeira da área voltada para as profissionais do sexo feminino no Brasil. Além de ajudar as organizações a cuidarem de seu ambiente de trabalho e aumentarem a representatividade em suas equipes, a HerForce dá voz as mulheres por meio das avaliações e comentários. No mesmo ano de sua fundação, a startup participou da primeira e segunda turma do programa Startup Zone, iniciativa do Google Campus, destinada para startups em estágio inicial. Acesse herforce.com.br e saiba mais.

Sobre Silaine Stüpp

Fundadora e CEO da HerForce, Silaine Stüpp já atuou como profissional de marketing nas empresas Dudalina, Faber-Castell e Crayola Brasil. Também é membro do coletivo colaborativo de mulheres na tecnologiaELASinTech e coorganizadora do evento anual Voz de Mulher, voltado ao Empreendedorismo Feminino.


Comentários