Belo Horizonte, 05/04/2020

Festival cria a série “Sarará na Escuta” com shows e outros conteúdos transmitidos ao vivo nas redes sociais

por Redação | publicado em quarta, 25 de março de 2020



Na foto: Elisa de Sena

O objetivo é difundir entretenimento e fomentar a indústria criativa em meio ao isolamento social recomendado para conter a Covid-19

O que fazer em dias de reclusão? Como não se sentir tão isolado? E ainda: como contribuir com artistas e outros profissionais da indústria criativa neste momento de crise? Foi pensando nestas questões que o Festival Sarará decidiu focar sua energia na produção de conteúdos culturais. Assim, surgiu a série Sarará Na Escuta, que conta com três quadros principais: Música em Casa, Pratos e Sons e Olhar Pra Dentro. A programação será compartilhada ao longo da semana, em dias e horários fixos, nas redes sociais do festival.

O quadro Sarará Na Escuta: Música Em Casa apresenta shows de artistas da cena autoral de Belo Horizonte, com transmissão ao vivo pelo Instagram. Toda sexta, de 19h às 21h, o público vai poder conferir apresentações intimistas de dois artistas. A primeira sessão recebeu a cantora, arranjadora e compositora Joana Bentes e o músico e compositor Marquim D’Morais. A próxima, no dia 27/03, vai contar com a participação da artista Elisa de Sena e do cantautor Ao Coral.

Além de ser um momento de distração e uma boa oportunidade para conhecer novos artistas, a ação também pretende contribuir para que a economia da cultura continue girando. Com essa intenção, o Sarará criou uma “vaquinha” online, na plataforma de financiamento coletivo Evoé, para aqueles que puderem contribuir com valores a partir de R$10,00. A cada mês, toda a renda arrecadada será dividida entre os artistas que participaram do quadro no período.

Com o isolamento social, músicos perdem possibilidades de gerar renda, já que não podem se apresentar em shows com público presente. “Nesse momento de crise, é muito importante que artistas consigam manter sua remuneração. Entendemos essa possibilidade como uma forma de tentar manter a cena local ativa, atuante, com a economia circulando no ecossistema cultural de Belo Horizonte”, aponta Bell Magalhães, idealizadora do Festival Sarará.

Além do quadro “Música Em Casa”, o Sarará está desenvolvendo conteúdos de gastronomia, com receitas práticas e bate-papos relacionados ao tema, no quadro “Pratos e Sons”. A primeira edição recebe a chef Lua Magalhães, proprietária da Cozinha da Lua, um delivery de comidas veganas. Lucas Narciso, um dos sócios do restaurante Borandá, no Mercado Novo, também participa do quadro. A intenção é contribuir com pequenos negócios locais em tempos de menos consumo e estabelecimentos fechados.

Já “Olhar Pra Dentro” apresenta pílulas com reflexões sobre autoconhecimento, dicas e exercícios. Quem apresenta o conteúdo é a professora Vicky Fernandes, do Espaço Viva Bem, que oferece terapias e aulas de yoga e está fechado por causa da crise. “Vemos que há outros setores da cultura, além da música, que também precisam ser impulsionados nesses tempos”, observa Bell Magalhães.

Com essa programação, o Sarará pretende contribuir não só para que as pessoas fiquem em casa, mas para que fiquem bem. Além de oferecer conteúdos culturais, a intenção é também incentivar as pessoas a produzirem arte, cozinhando em casa, por exemplo. O festival acredita no papel transformador da arte e tem certeza de que a cultura tem importante papel a cumprir nesse momento de pandemia e isolamento social.

Elisa de Sena

A cantautora Elisa de Sena tem ganhado destaque na cena mineira e nacional com shows do disco “Cura”, trabalho lançado pela Natura Musical em agosto de 2019. Uma das características marcantes do projeto é a junção entre o eletrônico e os tambores da cultura afro-mineira. Com um repertório que traz canções do CURA e releituras de clássicos da MPB, o show traz celebração e alegria como antídotos para tempos conturbados.

Ao Coral

Coral traz à vida a metáfora popular, através da sua música. Nascido do calor e da força do interior baiano, Jequié, para erradicar-se mundo afora. Tendo a musicalidade como sua maior tônica de vida, Coral são milhares de ritmos. Conjuntamente, música e personalidade se diversificam em uma mesma tessitura. Coral recria timbres, um chamado a uma ancestralidade afrofuturista: samba, maracatu, côco, reggae, ijexá, funk, pop, formam uma base sólida, juntando todas as cores em múltiplas línguas.

Festival Sarará

A sétima edição do Festival Sarará será realizada em 29 de agosto de 2020, na Esplanada do Mineirão. Os ingressos estão disponíveis em sympla.com/festivalsarara. Mais informações em festivalsarara.com.br

Sarará Na Escuta

Onde: www.instagram.com/festivalsarara

Financiamento coletivo dos shows: https://evoe.cc/sarara-na-escuta

Programação:

SEGUNDA: Sarará na Escuta: Pratos e Sons

TERÇA: Sarará na Escuta: Pratos e Sons

QUARTA: Sarará na Escuta: Olhar pra Dentro

SEXTA, 19h: Live Sarará na Escuta: Música em Casa


Comentários