Belo Horizonte, 16/05/2022

Queridinha no verão, tattoo pede atenção especial nesta época do ano

por redacao | publicado em sexta, 11 de fevereiro de 2022



Foto: tatuador Lu Corrêa/ Divulgação

Busca pelo serviço aumenta durante a estação ensolarada, mas é preciso paciência antes de colocar a tattoo “pra jogo”

Quem visita o litoral brasileiro durante o verão certamente já foi abordado por um ambulante e sua pasta recheada de desenhos, oferecendo uma tatuagem de henna – pigmento natural de efeito temporário. A oferta do serviço nessa época do ano, especificamente, não acontece por acaso. Altas temperaturas, poucas roupas e o corpo à mostra são pedidas perfeitas para quem deseja estampar uma arte no corpo. Assim como nas areias das praias, os estúdios de tatuagem também registram aumento na procura do serviço durante o verão. Entretanto, mais sensíveis que as tatuagens temporárias, as definitivas demandam planejamento e cuidados especiais, sobretudo se o objetivo for exibi-la na estação mais quente do ano.

De acordo com o empresário e tatuador Lu Corrêa, seu estúdio Divina Arte comprovou essa tendência no ano passado, registrando um considerável aumento na procura entre os meses de novembro e janeiro, se comparado ao restante do ano. “Muitas pessoas querem fazer uma tattoo e já estreá-la no fim de semana seguinte, na praia, na piscina, cachoeira, etc. Porém, é preciso se planejar para isso, pois um trabalho cicatrizado e apto a receber exposição ao sol precisa de tempo”, alerta Lu Corrêa.

A mesma lógica se aplica aos que voltaram das férias com o bronze em dia e desejam fazer uma tatuagem. “Dependendo da intensidade da exposição que essa pessoa teve, o período pode variar de 20 a 30 dias. Esse prazo é recomendado para que ocorra a renovação da pele, de modo que a mesma esteja saudável e com as suas propriedades restabelecidas”, explica. Ainda de acordo com o profissional, quando o intervalo não é respeitado, a tatuagem é feita sobre uma camada de pele “morta”, prejudicando o resultado final do trabalho.

Segundo Lu Corrêa, outro ponto de atenção para as tatuagens durante essa época do ano são os banhos. Mas fique tranquilo, a chuveirada do dia a dia não está na lista das restrições. De acordo com o tatuador, nos 15 primeiros dias após a realização da tatuagem a pele ainda não está totalmente cicatrizada, ficando suscetível ao risco de contaminação, reações alérgicas e infecções. “Nas duas primeiras semanas deve-se evitar 100% o banho em piscinas, cachoeiras, mar, rios, etc. É sempre bom lembrar que a tatuagem causa uma lesão na pele, ocasionando uma inflamação nos primeiros dias, o que é uma reação normal nesse caso sendo esperado que dure algo em torno de 5 a 7 dias, melhorando gradativamente ao longo desse tempo. Caso essa inflamação perdure por mais tempo, recomendo fortemente que a pessoa busque auxílio de um médico dermatologista”.

Além de um potente protetor solar, Lu Corrêa ressalta que os hábitos saudáveis e a hidratação da pele são imprescindíveis na manutenção de uma tatuagem bonita. “Um bom hidratante corporal diário, um bloqueador solar com alto fator de proteção, ingestão constante de água e uma alimentação equilibrada; esse é o meu receituário. O aspecto da tatuagem está diretamente ligado à saúde da pele, e manter bons hábitos vai contribuir muito para uma tatuagem bonita durante muitos anos”.

Em posse de todas as informações e cuidados a serem seguidos, se o objetivo for trocar a tatuagem de henna deste verão por uma definitiva no próximo, é melhor anotar as dicas finais deixadas por Lu Corrêa, a começar pelo período mais adequado para a realização. “Mantendo os cuidados básicos direitinho, pode-se fazer a tatuagem em qualquer época do ano. Porém, eu particularmente acho que o outono e inverno são épocas melhores, pois naturalmente nossa exposição ao sol é menor e os cuidados com a pele podem ser feitos de forma mais tranquila”, finaliza.


Comentários