Belo Horizonte, 15/07/2020

Teatro #EmCasaComSesc apresenta monólogos de Dinho Lima Flor e Jhonny Salaberg

por Redação | publicado em quarta, 10 de junho de 2020



Dinho Lima Flor/ Foto: Alécio César

Série de transmissões de teatro pelo YouTube do Sesc São Paulo e o Instagram do Sesc Ao Vivo ocorre em quatro dias da semana, sempre às 21h30


Somando mais de 42 mil visualizações nas 15 apresentações já realizadas, a série Teatro #EmCasaComSesc traz monólogos interpretativos transmitidos diretamente da casa dos artistas, sempre às segundas, quartas, sextas e domingos. Promovida pelo Sesc São Paulo, a programação traz importantes nomes da linguagem cênica: hoje, dia 10, Matheus Nachtergaele adapta a peça Processo de Conscerto do Desejo para formato intimista, intitulando-a "Desconscerto". Na apresentação, o ator recita poemas de sua mãe, Maria Cecília Nachtergaele, que morreu quando Matheus tinha três meses de idade. A peça não é recomendada para menores de 14 anos.

Iniciando o final de semana, na sexta-feira, 12, o ator pernambucano Dinho Lima Flor encena o espetáculo Ledores no Breu. Inspirada no texto "Confissão de Caboclo" do poeta Zé da Luz, e no pensamento e prática do educador Paulo Freire, a peça trata das relações entre o homem sem leitura e sem escrita com o mundo ao seu redor. O que é ser analfabeto em São Paulo, nos grandes cruzamentos de capitais do Brasil? Qual o valor da palavra nesse mundo em que vivemos? Essas indagações estão em xeque e jogam luz no paradoxo entre a cultura da escrita como porta-voz, que representa não só um desejo de emancipação, mas também um mecanismo de exclusão e demarcação de fronteiras sociais se apoiando em preconceitos linguísticos. A direção é de Rodrigo Mercadante, e a classificação indicativa é livre.

E no domingo, 14, o ator e dramaturgo Jhonny Salaberg, fundador do coletivo O Bonde, grupo de pesquisa do teatro negro e suas diásporas contemporâneas, apresenta uma versão adaptada da premiada peça "Buraquinhos ou O vento é inimigo do Picumã". De sua autoria, o texto aborda o genocídio da população jovem, negra e periférica por meio do realismo fantástico. Narrado em primeira pessoa e dirigido por Naruna Costa, o monólogo aborda a trajetória de um menino negro - morador do bairro Guaianases, Zona Leste de São Paulo - que corre o mundo inteiro com uma sacola de pães nas mãos depois de se chocar com um policial branco.

Até aqui, o Teatro #EmCasaComSesc apresentou 15 espetáculos a uma audiência de mais de 42 mil visualizações. Já passaram pela série os artistas Celso Frateschi, interpretando, de sua autoria, Diana, Georgette Fadel em Terror e Miséria no Terceiro Milênio, de Bertolt Brecht, Sérgio Mamberti em Plínio Marcos, Um Homem do Caminho, Ester Laccava com Ossada, Jé Oliveira com, de sua autoria, Farinha com Açúcar ou Sobre a Sustança de Meninos e Homens, Gustavo Gasparani em Ricardo III, de Shakespeare, Lavínia Pannunzio com Elizabeth Costello, Grace Passô, interpretando Frequência 20.20, Denise Weinberg em O Testamento de Maria, Ailton Graça com Solidão, Cacá Carvalho em O Carrinho de Mão in A Poltrona Escura, Bete Coelho interpretando Mãe Coragem, Gero Camilo em A Casa Amarela, Eduardo Mossri com Cartas Libanesas e Cláudia Missura em Paixões da Alma.

+ Sesc Digital
A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

Saiba+: sescsp . org . br


Comentários