Belo Horizonte, 18/01/2022

UniBH inaugura Ambulatório da Diversidade, com atendimento voltado ao público LGBTQIA+

por redacao | publicado em quinta, 09 de dezembro de 2021



Local dedicará atendimentos psicoterápicos gratuitos à população LGBTQI+ da capital

O UniBH, instituição da Ânima Educação, lança nesta quinta-feira, 9 de dezembro, mais um serviço gratuito voltado à comunidade de Belo Horizonte, com a inauguração do Ambulatório da Diversidade. Com foco no público LGBTIA+ em situação de vulnerabilidade social, equipes formadas por alunos e professores do curso de Psicologia oferecem atendimentos psicoterápicos. O Ambulatório funcionará na Clínica Integrada da Saúde, instalada no Campus Buritis e os acolhimentos serão realizados conforme encaminhamento da rede socioassistencial do município.

O Ambulatório é uma ação vinculada ao projeto de extensão Mosaico, que por meio de alunos e alunas do curso de Psicologia do UniBH, prestou atendimento ao público LGBTIA+ durante o segundo semestre deste ano, como parte das atividades complementares da graduação. O resultado foi tão positivo que a ideia será ampliada resultando em uma proposta maior.

O professor João Henrique de Sousa Santos, coordenador do projeto Mosaico, explica que durante a extensão, alguns casos foram atendidos na modalidade on-line, considerando a Resolução do Conselho Federal de Psicologia Nº 11/2018, e outros, presencialmente, na Clínica Integrada de Saúde do UniBH. “Nossas equipes atendem pessoas em situação de vulnerabilidade social e, portanto, nem todas têm acesso à internet para a realização dos acolhimentos. Essa oportunidade tem contribuído radicalmente para o processo formativo de estudantes. Alunos e alunas têm desenvolvido um olhar mais crítico para a realidade social, compreendido o lugar da clínica e sua função política junto à sociedade, além do desenvolvimento de uma escuta qualificada para compreender o sofrimento humano em todas as dimensões”, avalia Santos.

A coordenação dos atendimentos é feita por João Henrique, que é psicólogo, psicanalista, professor no UniBH e responsável técnico pela Clínica Escola de Psicologia; e por Isabella D’Ávila, psicóloga e líder do Núcleo de Orientação Psicopedagógica e Inclusão (NAPI), do UniBH. “Semanalmente os estudantes têm encontros de supervisão com os coordenadores para discussão e condução dos casos atendidos. Nesses encontros nós os auxiliamos na leitura teórico-clínica do caso no campo da saúde mental e as possibilidades de articulação em rede para questões sociais”, explica.

A expectativa, segundo os coordenadores, é de que no primeiro semestre de 2022 o Ambulatório da Diversidade UniBH consiga realizar 45 atendimentos por semana, totalizando 180 atendimentos por mês. “Existe a perspectiva de ampliar a oferta de serviços, de modo a possibilitar uma assistência e cuidado mais amplos à população LGBTIA+ e, consequentemente, aumentar o número de atendidos.”

O docente ressalta a importância da iniciativa, tanto para estudantes envolvidos, quanto para o público atendido. “A população LGBTIA+ faz parte de uma das muitas minorias sociais que sofrem os efeitos da violência e preconceitos presentes na sociedade. Esse histórico de violência, exclusão e negligência promove marcas significativas na saúde mental. Acolhemos pessoas em situação de vulnerabilidade social, sem condições de acessar um serviço privado de Psicologia. Ter um espaço seguro, poder relatar suas histórias de vida, as violências vividas e construir, em parcerias com os estudantes, saídas possíveis e elaborações é fundamental para que muitas dessas pessoas continuem vivendo. Os estudantes, por sua vez, desenvolvem uma escuta empática e qualificada e leitura crítica da realidade social, além da compreensão do papel político e social da Psicologia.”

Inauguração terá roda de conversa

Para marcar a criação do Ambulatório da Diversidade, o Núcleo de Orientação Psicopedagógica e Inclusão (NAPI) do UniBH e o projeto de extensão Mosaico realizarão uma roda de conversa com integrantes de outros serviços à comunidade LGBTIA+, entre 19h e 21h, no dia 9/12. Para participar, basta se inscrever no link: https://bit.ly/EventoAmbulatórioDiversidade.

Estarão presentes os psicólogos Carú de Paula, coordenador do projeto Acolhe LGBT+, mestrando em Psicologia Clínica pela PUC-SP, tendo como centro de sua pesquisa e atuação, a construção de espaços férteis para vidas dignas, de corpos dados enquanto dissidentes na narrativa colonial brasileira; Thomaz Oliveira, supervisor do projeto Acolhe LGBT+, cujo trabalho abrange diversas minorias sociais; e Patrícia Oliveira, assessora parlamentar na Câmara Municipal de Belo Horizonte, coordenadora de relações institucionais da ONG Transvest; além de Wagner Lopes, analista de Políticas Públicas e Assistente Social na Prefeitura de Belo Horizonte e atual coordenador do Centro de Referência LGBT do município.

O encontro será guiado por João Henrique e Isabella D’Ávila, coordenadores do projeto.


Comentários