Belo Horizonte, 20/01/2021

Vamos falar sobre fertilização e gestação?

por Redação | publicado em sexta, 04 de outubro de 2019



A infertilidade ou incapacidade de conceber após um ano de relações sexualmente regulares desprotegidas atinge 15% dos casais em todo mundo. Os fatores femininos de infertilidade são relacionados a: endometriose/miomas, Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), baixa reserva ovariana, alterações na tireoide, causas genéticas, fatores ambientais, deficiências nutricionais, desreguladores endócrinos, sobrepeso e obesidade.

Citando os fatores ambientais e desreguladores endócrinos, vivemos em um ecossistema doente, em que a água é rica em metais pesados e agrotóxicos. Por todo lugar temos plástico, e os alimentos mais práticos são industrializados e ricos em aditivos químicos adicionados para aumentar a conservação dos alimentos.

Quanto mais limpamos o nosso terreno biológico (corpo) com ações diárias, maiores as chances de aumentar a fertilidade. Muitas mulheres “tentantes”, quando resolvem engravidar, retiram o anticoncepcional, procuram o ginecologista, fazem alguns exames e começam a usar o ácido fólico ou metil folato.

Recomendações médicas na gestação

As recomendações médicas na gestação englobam não usar produtos para cabelo, como tintura e relaxamentos. Recomenda-se a prática de atividade física moderada (para quem pode) e alimentação saudável. Mas não é ensinado, obviamente, que o nosso corpo se contamina diariamente com xenobióticos (plástico, agrotóxicos ou pesticidas, aditivos alimentares, alumínio de panelas, flúor de pasta de dente e alumínio do antitranspirante), que desequilibram os nossos hormônios, matam ou danificam as células (espermatozóides e oócitos), prejudicando a fertilidade. Outros alteram a estrutura do DNA, causando mutações genéticas que podem resultar em defeitos congênitos ou infertilidade.

Então, é importante se preparar não somente para aumentar as chances antes de uma FIV ou gestação natural, como também preparar o corpo para receber, durante nove meses, um novo ser, que crescerá e se nutrirá de tudo que circula em seu sangue.

Dicas para aumentar chances de gravidez e dicas para durante a gestação

Algumas ações diárias são importantes para ambos os casos, tanto para aumentar as chances de uma gravidez quanto depois, quando a mulher começar a gerar uma vida. E essas recomendações também são importantes para o homem, o futuro papai. É necessário que ele siga as mesmas recomendações abaixo, pelo menos três meses antes, limpando o terreno biológico, para aumentar a qualidade dos espermas, porque isso aumentará muito as chances de uma concepção. Confira!

  • Evite agrotóxicos. Nosso país é um dos maiores consumidores de agrotóxicos no mundo. É importante consumir mais alimentos orgânicos e/ou fazer a desinfecção de hortifrútis, mesmo nos alimentos com casca.
  • Use chás para ajudar o fígado a eliminar as toxinas e metais pesados, como chá de boldo, chá verde, de alcachofra e chá de dente de leão (no primeiro período do ciclo, da menstruação até a ovulação). Na ovulação, deve-se interromper, por causa da possível gestação; e retomar somente se menstruar e, de novo, interromper na ovulação.
  • Evite produtos industrializados, por causa dos aditivos alimentares. Eles sujam nosso intestino, contribuindo para maior passagem de toxinas para o sangue, principalmente se você tem muitos gases ou flatulência por má digestão ou Síndrome do Intestino Irritável.
  • Evite o trigo, tanto integral como farinha branca. O trigo é rico em um pesticida glifosato, que aumenta as chances de autismo em crianças na gestação. Nosso trigo tem ácaros, restos de insetos e fungos. Evite tanto antes quanto na gestação.
  • Evite álcool, cafeína e refrigerantes. Eles são ricos em corante caramelo e adoçante aspartame, que estão envolvidos com câncer e podem causar alterações no DNA do bebê em formação.
  • Consuma vegetais escuros e frutas ricas em vitamina C, para manter bons níveis de ferro antes da gestação e também durante, para evitar distúrbios da tireoide. O hormônio principal da tireoide, o T3, é produzido a partir de um ferro que você ingere todo dia.
  • Use chlorella, que é uma alga rica em iodo. Ela favorece o bom funcionamento da tireoide, além de ajudar o fígado a eliminar os metais pesados. Ela pode ser usada também na gestação.
  • Durma bem. A melatonina está envolvida com a melhora da fertilidade e tem o primeiro pico às 21h. Melhore a qualidade do sono com chá de mulungu, melissa (ervas orgânicas). O uso de chás deve ser sempre sob orientação do nutricionista. Alguns induzem a menstruação.
  • Use creme dental sem flúor, antitranspirante sem alumínio, produtos de cabelo e hidratantes livres de parabenos, sulfetos e petrolatos. Existem hoje várias empresas no mercado nacional e de importados que vendem esses produtos free.
  • Use panelas de inox, cerâmica ou ferro. Evite alumínio e antiaderentes.
  • Faça a investigação da homocisteína no pedido de exames de rotina. Esse é um marcador bioquímico, muitas vezes, ignorado nos exames de rotina, mas que, em valores muito próximos ao mínimo ou ao máximo (dentro da referência do laboratório), podem comprometer a fertilidade. Para a homocisteína estar em equilíbrio, a ingestão de vitaminas do complexo B, presente principalmente em alimentos de origem animal (ovos, carnes), tem que ser bem equilibrada. E para vegetarianos ou veganos, a complementação em cápsula pode ser fazer necessário.
  • Pratique yoga, meditação; eleve a mente. Os estudos indicam que a prática da medicina holística/oriental ajuda muito na ansiedade nesse período de espera.

Com essas ações, além de aumentar a chance de fertilidade, você promove uma gestação mais segura, limpando o terreno biológico para a chegada de uma sementinha muito sensível aos fatores externos e contaminantes que, todos os dias, temos acesso. É importante destoxificar!

Por Luciana Guerreiro


Comentários