20 de fevereiro de 2024

Search
Close this search box.

36° FEIRA DE CERÂMICA DE MINAS GERAIS: Evento ocorre nos dias 1º, 2 e 3 de dezembro

POR:

POR:

Redação

Foto: João Dirickson

De 1º a 3 de dezembro, o Mercado Central em BH vai receber mais uma edição da já tradicional Feira de Cerâmica de Minas Gerais: a 36ª que contempla cerca de 60 expositores, além de palestras e demonstrações de técnicas de modelagem – todas as atrações com entrada gratuita para o público.

Em 2023, a Feira tem curadoria das ceramistas Cibele Tietzmann, Djenane Vera e Emmanuela Tolentino que, juntas, organizaram o evento com artistas de cidades mineiras como BH, Caeté, Nova Lima, Betim, Contagem, Brumadinho, Igarapé, Conselheiro Lafaiete, além de dois expositores de São Paulo – um de Campinas e um da capital. Por dia, são esperados cerca de 2.000 visitantes.

No espaço será possível encontrar vários tipos de cerâmica artesanal, desde peças utilitárias de cozinha, para a casa, adornos, joias, itens de jardim, objetos de design, esculturas e também matéria prima como massas, esmaltes, ferramentas e equipamentos. O diálogo do design com a arte contemporânea e a arte popular se manifesta em tigelas, pratos, esculturas, flores, oratórios e objetos moldados pelas mãos dos artistas.

“São ceramistas produzindo e vendendo seus trabalhos que muitas vezes são peças únicas de criação autoral exclusiva! Então somos mais do que artesãos do barro, somos artistas transformadores de sonhos”, explica Cibele Tietzmann.

Um dos destaques da feira em 2023 é a presença da Cerâmica Saramenha, representada pelo Rosemir Hermenegídio que trabalha há 40 anos no ramo em Conselheiro Lafaiete – cidade onde a técnica é tombada pelo IEPHA e considerada patrimônio imaterial. 

A técnica portuguesa chegou ao Brasil no final do século XVIII, trazida pelo Padre Viegas de Menezes que descobriu o barro na região de Ouro Branco/MG. Uma de suas principais características é a coloração variada causada pelo fogo que corre em volta da peça, o que faz com que cada uma seja única e diferente da outra. É conhecida como “louça mineira” e chama a atenção pelo aspecto vidrado conseguido por meio de um esmalte especial feitos com minerais como ferro, cobre, chumbo e manganês, que o trabalho recebe antes de ir ao forno novamente. 

Pela primeira vez, a feira vai contar também com a participação do CCBras – Cerâmica Contemporânea Brasileira, que mantém um catálogo de ceramistas de todo o país. O objetivo da entidade é reunir os ceramistas, profissionais ou amadores, que estão ativamente produzindo cerâmica artística no Brasil. “Nosso evento sempre foi organizado com artistas que moram ou trabalham em BH e no interior de Minas. Vai ser a primeira vez que temos a participação de uma associação de ceramistas a nível nacional, que enriquece muito nossa feira”, comenta Cibele.


“Uma coisa legal é que, como a feira acontece desde 1999, conseguimos alcançar várias gerações da cerâmica artística. Muita gente participa desde o início e nunca faltou em nenhuma edição”, conta Emmanuela Tolentino que completa: “Depois da pandemia conseguimos ampliar o espaço da feira e dobramos o número de expositores, o que deu oportunidade para os que estão no início de carreira entrarem e outras que a muito tempo não

participavam, voltarem a estar conosco, contribuindo para a diversidade do nosso encontro”.

DEMONSTRAÇÕES E PALESTRAS
Outro ponto alto da Feira são as demonstrações e palestras que acontecem ao longo dos dias, também com entrada gratuita. São elas: 

Demonstrações:
01/12, sexta
10h30: Demonstração de torno com Cris Rocha – Tauá Cerâmica
11h30: Demonstração de torno com Mestre Rosemir Cerâmica Saramenha 16h: Demonstração de modelagem em paleteado com Luciano Almeida 

02/12, sábado
10h: Demonstração de torno com Mestre Rosemir Cerâmica Saramenha
14h: Manual de construção da cabeça humana em escultura cerâmica: uma demonstração do método Fernando Poletti

03/12, domingo
9h30: Demonstração de torno com Murilo Siqueira
11h: Escultura de Figura humana com Luciano Almeida

Palestras
02/12, sábado
11h: Fernando Poletti
Tema: “Manual de construção da cabeça humana em escultura cerâmica: apresentação do livro criado por Fernando Poletti”
16h: Lili Panachuk
Tema: “Ceramistas de Minas Gerais: a complexidade e potência da cerâmica arqueológica Aratu – Sapucaí”

03/12, domingo
10h: Makoto Fukuzawa
Tema: “Experiência, reflexões e possibilidades do processo da queima a lenha”
11h30: Cris Rocha
“Akiko Fujita e sua obra – A questão do artesanato é complexa” 

HISTÓRIA
A Feira de Cerâmica de Minas Gerais foi idealizada pela artista ceramista Erli Fantini em 1999 e há 23 anos acontece anualmente na capital mineira. Em 2023, chega em sua 36° edição, com um grupo amplo e novos ceramistas que participam pela primeira vez. Já faz parte do calendário da cidade e tem como proposta compartilhar o saber centenário das diversas técnicas de diferentes gerações da cerâmica mineira.

Ao longo dos anos, ocupou vários lugares em Belo Horizonte, o último deles o Mercado Central, em 2014. Em 2020, se adaptou à nova realidade imposta pela Covid 19 e foi quando as ceramistas Cibele Tietzmann e Emmanuela Tolentino transformaram o formato do evento de presencial para online, conseguindo manter a tradição, sem interromper as edições. De volta ao presencial, a Feira adaptou as lives e as transformou em palestras presenciais – novidade do evento que passou a contar também com demonstrações de técnicas e novas abordagens. 


36° Feira de Cerâmica de Minas Gerais 2023

Data e horário:
01 e 02/12 (sexta e sábado): das 9h às 19h
03/12 (domingo): das 9h às 15h
Local: Estacionamento elevado do Mercado Central
Av. Augusto de Lima, 744. Centro, Belo Horizonte/MG
Entrada e toda programação gratuitas

Site: www.feiradecerâmicamg.com.br
Instagram: https://www.instagram.com/feiradeceramicamg/ 

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp