27 de maio de 2024

Search
Close this search box.

Do Peixe Restaurante apresenta cardápio autêntico e bem brasileiro, baseado em pescados do rio e do mar

Do Peixe Restaurante apresenta cardápio autêntico e bem brasileiro, baseado em pescados do rio e do mar
POR:

POR:

Redação

Foto: divulgação

Novidade para a temporada da Quaresma é o bacalhau nacional, feito com pirarucu e inspirado em receita amazônica

“Dentro do mar tem rio”, já cantava Maria Bethânia. E em Belo Horizonte tem o quê? Na Pampulha, o Do Peixe Restaurante tem (a)mar e rio. O cardápio da casa, especializada em peixes e frutos do mar, tem espécies vindas de todas as águas, dentre elas: pescada-branca, tambaqui, pirarucu, tilápia, salmão, traíra e peroá, além de camarão, polvo, lula e siri.

Tradicional na região já há 12 anos, o Do Peixe tem identidade visual inspirada nos azulejos de Portinari da Igrejinha da Pampulha, que retratam cenas do rio São Francisco. Mas as origens de sabor remetem à Santa Catarina, terra natal da família Moser, proprietária do restaurante. “Meu pai nasceu no litoral catarinense, mas mora em Belo Horizonte há muitas décadas. Quando éramos crianças, sempre passávamos as férias lá. Veio daí a ideia de abrir um restaurante especializado em pescados e com sabores bem brasileiros”, conta Jairo Moser Jr., que, há quase dez anos, divide a administração da casa com o irmão, Juliano Moser.

Sabores da Páscoa


Para a temporada da Quaresma, o Do Peixe apresenta o bacalhau nacional. O prato inovador alia as culinárias portuguesa e brasileira por meio do pirarucu, estrela dos peixes de rio amazônicos. “A inspiração vem do pirarucu de casaca, receita original do Pará, que submete o peixe a um processo de salga, para transformá-lo em bacalhau”, conta a chef Denyse Poema.

Depois de passar pelo processo de salga, o peixe de cor avermelhada é assado em postas e servido com arroz de castanhas brasileiras, musseline de batatas e leite de coco, ovos cozidos, azeitonas pretas, tomate confitado, pimentão e ramas de tomilho. “O grande diferencial da receita é o leite de coco, ingrediente que também trouxemos do pirarucu de casaca: o tom adocicado contrasta com o salgado do bacalhau”, descreve Denyse. O prato fica disponível no menu até o Domingo de Páscoa (31/3).

Moquecas: o carro-chefe


No cardápio permanente, o destaque de honra vai para as moquecas, feitas com pescada-branca, peixe de água salgada e de sabor delicado. A moqueca mineira é uma reinterpretação da iguaria: mergulha na essência da roça ao incorporar ao peixe um creme de milho caseiro, realçado pela adição de almeirão e banana-da-terra picadinha na finalização. “A sutileza e o dulçor do creme se harmonizam perfeitamente, enquanto o almeirão substitui o coentro, proporcionando frescor e textura”, descreve Denyse.

Já a moqueca tradicional, mais próxima da versão baiana, destaca-se pela utilização de dendê, leite de coco e pimentão. A chef destaca o cuidado na produção própria de leite de coco, processo que demanda cerca de seis horas. A pedido do freguês, o prato pode levar o acréscimo de camarões – há, ainda, a opção de pedir moqueca apenas com camarões ou a moqueca vegana, com banana-da-terra, palmito e cogumelos.

Receitas tradicionais


Os pratos e petiscos à la carte no Do Peixe incluem receitas tradicionais brasileiras, com influências regionais e estrangeiras, como tilápia à parmegiana, bobó de camarão, casquinha de siri, bolinho de bacalhau, arroz de bacalhau, salmão à piemontese, ceviche e até mesmo paella.

Para quem gosta de sabores mais marcantes, a caldeirada é a pedida certa: leva pescada-branca, camarão, lula, polvo e mexilhões, finalizada com leite de coco, coentro e azeite de dendê. Também fazem sucesso as costelas de tambaqui assadas e temperadas com açúcar mascavo, páprica, pimenta-do-reino e especiais (dry rub). “O gosto deste peixe de rio é muito característico. Quando assado, ele preserva a umidade e a suculência”, observa Jairo Moser.

Outros pratos muitos procurados são a traíra sem espinha, empanada e frita, servida inteira; e o chiclete de camarão, receita “importada” de Maceió, com molho à base de muçarela, requeijão e leite de coco. Destaque ainda para o peroá, um peixe do mar, que chega à mesa frito, juntamente com camarões, batatas, arroz, vinagrete e farofa de banana-da-terra.

De terça a sábado e aos feriados, o Do Peixe serve rodízio de peixes e frutos do mar. Com valores entre R$ 105 (de terça a quinta) e R$ 115 (sextas, sábados e feriados), a sequência à vontade inclui porções dos principais pratos e petiscos, dentre eles: casquinha de siri, bolinho de bacalhau, ceviches de peixe branco e de salmão, camarões, anéis de lula à dorê, tilápia empanada, moqueca baiana, moqueca mineira e filé de peixe à provençal.

Caminhos das águas


A origem dos insumos usados no restaurante é bem diversificada, como a própria culinária brasileira. Alguns peixes, como a tilápia, vêm de Minas, da Região Central do estado; outros, como o pirarucu, são autênticos da Amazônia. Já o salmão vem da Argentina. Os frutos do mar e os demais peixes de água salgada vêm dos litorais de Santa Catarina e da Bahia.


Do Peixe Restaurante


Rua Dr. Jefferson de Oliveira, 231, Santa Amélia, Pampulha
Telefone: (31) 2552-4014
WhatsApp: (31) 98299-7226
Funcionamento:
De terça a sexta-feira: das 18h às 23h30
Aos sábado e feriados, das 11h a 0h
Aos domingos, das 11h às 21h
Instagram: @dopeixerestaurante

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp