27 de maio de 2024

Search
Close this search box.

NOVO DELIVERY EM BH: Casa Riuga apresenta gastronomia repleta de afeto

NOVO DELIVERY EM BH: Casa Riuga apresenta gastronomia repleta de afeto
POR:

POR:

Redação

Foto: arroz de pato/ Laura Brina 

Casal de chefs está por trás de delivery que vem conquistando BH com pratos conhecidos do grande público, feitos com ingredientes selecionados e muita técnica

Riuga é como se pronuncia hygge, palavra dinamarquesa para um sentimento de conforto e bem-estar, que também traduz o estilo de vida escandinavo. Não por acaso, é o nome que os chefs Carolina Elias e Pedro Paulo escolheram para seu primeiro restaurante, o Casa Riuga. Ali eles aplicam as técnicas adquiridas em anos na gastronomia, com passagens por restaurantes paulistanos como, como Cais e Shihoma, além de experiências internacionais na própria Escandinávia. 

“Atualmente somos um restaurante de delivery, de comida simples, com valor afetivo, que entrega pratos que as pessoas já têm alguma referência, não abrindo mão de sabor em função da praticidade” explica Carolina. O strogonoff (feito com filet mignon e cogumelos frescos) e a salada caesar (com molho autoral e farofa de focaccia) são os campeões de pedidos. Juntam-se a eles pratos como frango assado e salada de batatas (a sobrecoxa é marinada por 24h e glaceada com mel e páprica) e a salada de rosbife com molho de mostarda (a carne é temperada com seis especiarias e o picles de grão de mostarda é feito por eles).

“Outro prato que gostamos muito, e quem pediu acaba repetindo, é o arroz de pato com nosso pato curado artesanal, que por mais que seja algo um pouco “diferente” do restante do cardápio, vem ganhando espaço” completa Carolina. Cozido no caldo da própria carne, ele é levemente cremoso,  finalizado com agrião fresco e pétalas de cebola pérola tostadas. 

Outra aposta dos chefs é a linha de antepastos, que inclui o magret de pato curado artesanalmente por 22 dias, abobrinhas italianas marinadas em azeite aromatizado com ervas e raspas de limão siciliano, tapenade de azeitonas pretas temperadas com raspas e suco de laranja, entre outros.

Carolina e Pedro também fazem questão da embalagem sustentável e de boa apresentação, outro diferencial. Forma que encontraram para mostrar que aquele prato, ainda que por delivery em aplicativo, foi feito por pessoas reais e é comida de verdade.

“Acreditamos que o nosso maior atrativo é o fato de darmos muito valor à qualidade, ainda que nesse sistema de delivery que visa, na grande maioria das vezes, volume acima de tudo. Isso reflete no nosso produto final, e apesar do preço mais alto do que em comparação a outros concorrentes no mercado, os clientes que provam voltam com frequência. A preocupação com sabor e qualidade é o que sobressai” fala Pedro Paulo.

Ainda no primeiro semestre, Carolina e Pedro pretendem abrir uma confeitaria, também no sistema de delivery. Já os planos de transformar a Casa Riuga – com outra proposta de cardápio – em um restaurante de rua estão adiantados e dependem apenas de encontrar o espaço ideal. 

Sobre Carolina e Pedro

Pedro Paulo Iniciou o curso de gastronomia no Senac São Paulo aos 18 anos, mas acabou não concluindo por conta da rápida progressão profissional. Ele começou lavando louça para um pequeno bistrô do bairro até chegar no Dalva e Dito, do grupo Alex Atala, onde ficou por 2 anos. Também passou por um breve período no Kebab Salonu, primeiro restaurante do Fred Caffarena (Make Hommus), seguido de um estágio no restaurante TUJU. De lá, partiu para sua primeira experiência internacional, no restaurante 108 (grupo NOMA) em Copenhagen, na Dinamarca. 

De volta a SP, foi cozinhar no Restaurante Petí, de onde partiu após um ano para o Faviken Magasinet, na Suécia. Ao retornar para o Brasil, ficou dois anos no Corrutela e depois mais três no Restaurante Cais, onde foi sous chef e conheceu Carolina.  

De lá, já uma dupla, foram para o Pasta Shihoma, onde encerraram a temporada paulistana para abrirem o próprio restaurante em BH.Carolina Elias é mineira, formada em Administração e Contabilidade. Em 2021, se mudou para São Paulo para estudar na Le Cordon Bleu, onde concluiu o curso Grand Diplôme. Paralelamente, trabalhou em restaurantes de grande nome na cidade, como Nelita, Restaurante Cais e Pasta Shihoma. 

Retornou a Belo Horizonte, cidade natal, para abrir a Casa Riuga.


Serviço

Terça à sexta-feira: 11h às 15h, 18h às 22h

sábado: 12h às 16h, 18h às 22h

domingo: 12h às 18h

@casa.riuga 

https://tr.ee/skCOlxXuVh
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp